BOLSONARO NOS ESTADOS UNIDOS – PRINCIPAIS ASSUNTOS & INFLUÊNCIAS INTERNACIONAIS

Recepcionado por militares e autoridades, ontem (17) o presidente Jair Bolsonaro chega nos Estados Unidos, e se hospedará na Blair House durante sua permanecia. E no dia 19 de Março se encontrará com o presidente americano Donald Trump na sua primeira viagem com caráter bilateral.

Leia: Entenda a relação “BOLSOTRUMP” e influências internacionais.

Em toda a sua campanha o presidente Jair Bolsonaro enfatizou o quanto o Brasil gostaria de estar alinhado com os Estados Unidos, e depois de sua candidatura sua opinião não mudou, o presidente brasileiro declarou que a democracia e liberdade são fatores essenciais neste momento;

A visita tem como objetivo mostrar ao país norte americano o quanto o Brasil está se tornando, cada vez mais, um país de *livre mercado, indicar o alinhamento entre os dois governos e demonstrar o Brasil como uma grande potencia latino americana.

* Brasil leiloa 10 aeroportos na última semana


Principais assuntos que serão abordados:

1) Visto brasileiro:

Facilitar a entrada no Brasil será um dos assuntos discutidos. Americanos, canadenses, japoneses e australianos não precisarão mais de visto brasileiro, é o que deseja o governo de Jair Bolsonaro. Essa atitude tem como objetivo atrair turismo e consequentemente mais dinheiro ao país.

2) A base de Alcântara – Maranhão & Cooperação tecnológica:

A base de Alcântara é considerada o centro espacial mais bem localizado no mundo, pois por ser próximo a linha do equador, gera uma economia de aproximadamente 30% do combustível de foguetes lançados.

Por esse motivo os Estados Unidos pretendem realizar o lançamento de foguetes e satélites nesta base, e nesse encontro deve ser assinado o acordo que permite esses lançamentos.

As vantagens dessa negociação para o Brasil é a moeda estrangeira que irá entrar, geração de emprego e renda e mais desenvolvimento e tecnologia ao país

E segundo alguns especialistas a grande desvantagem é que o Brasil tem risco de perder a autonomia sobre o próprio território, uma vez que os Estados Unidos investirão bilhões de dólares, porém segundo o ministro Marcos Pontes, a soberania do país não esta em risco e não há com o que se preocupar.

Além disso deve ser assinado um acordo de cooperação tecnológica.

3) Redução de barreiras alfandegarias entre Brasil e Estados Unidos:

Com o objetivo de aumentar as exportações brasileiras e norte americanas, será discutido a redução de algumas barreiras alfandegarias entre esses países.

Porém deve-se lembrar dois pontos:

Estados Unidos está em guerra comercial com a China, que é o principal parceiro comercial do Brasil;

A partir do momento que o Brasil mudar a embaixada de Tel-Aviv para Jerusalém, como fez Trump, as exportações brasileiras para países árabes podem ser reduzidas drasticamente.

4) Defesa a democracia na Venezuela:

Trump espera que o Brasl continue pressionando a Venezuela em nome da democracia e liberdade, ideia de intervenção militar na Venezuela, foi descartada.

Leia sobre: Crise Venezuela e possível intervenção militar.

5) Aliado extra-Otan & cooperação militar :

É possível que Bolsonaro declare apoio e aliança à OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Se a aliança ocorrer o Brasil pode se beneficiar com equipamentos militares dos EUA.


Manifestações contra Bolsonaro.

A organização DC United Against Hate, promoveu um evento de repúdio contra a chegada de Bolsonaro nos Estados Unidos:

(A DC United Against Hate é um grupo contra a extrema-direita)

“Hey! Hey! Ho! Ho! Bolsonaro has to go” é o que gritavam aproximadamente 100 pessoas, neste domingo, onde realizavam um protesto em frente à casa branca contra o presidente brasileiro. O grupo considera o presidente como machista, homofóbico e racista e ainda citou casos como Mariele Franco e Queiroz, e comparou atitudes de Bolsonaro com as de Trump.

“A linguagem que Bolsonaro usa é muito similar à de Trump”, diz o americano Michael Shallal, da organização DC United Against Hate, comparando os políticos ao crescimento da extrema-direita no mundo.

Alguns brasileiros também protestam e afirmam que Bolsonaro está entregando o Brasil ao país norte americano.


E você, o que acha dessa visita? Deixe sua opinião nos comentários, mas atenção:

* Comentários: Por gentileza notar que esse artigo apresentou fatos e omitiu a opinião da autora, buscando o equilíbrio. Por favor, comente educadamente, citando argumentos! Comentários ofensivos e/ou com palavrões, como recebidos no artigo sobre o grupo BRICS, serão excluídos e denunciados.


Quer ler mais sobre a relação brasileira com demais países? É só clicar:

Para acompanhar noticias de relações internacionais, siga o instagram @comexland


Quem é Kauana Pacheco ?

Kauana trabalha e escreve sobre Comércio Exterior e Relações Internacionais, residiu em St. Petersburg na Flórida, onde aprendeu a língua inglesa e teve a oportunidade de se inserir na cultura americana, e também pôde conhecer culturas de diversas partes do mundo.

Kauana Pacheco

Kauana é formada em Negócios Internacionais e é pós-graduada em Big Data & Market Intelligence. Kauana é a fundadora da ComexLand, onde atua como especialista em marketing focado para empresas do Comércio Exterior e Logística Internacional.

adana eskort - eskort adana - mersin eskort - eskort mersin - adana eskort bayanadana eskort - eskort adana - mersin eskort - eskort mersin - adana eskort bayan