Carga perigosa – Quais são elas e porquê?

As mercadorias consideradas perigosas pelas autoridades podem ter riscos mínimos para o embarque se administradas seguindo todos os procedimentos e regras internacionais. Esse artigo aborda quais são as mercadorias, como classificá-las e medidas de segurança para que a logística internacional aconteça com excelência.

É considerado carga perigosa toda aquela que possui mercadoria com origem química, biológica ou radiológica que são nocivas ao meio ambiente, propriedades e seres vivos.

Para regular e criar um padrão internacional de segurança, a IMO (International Maritime Organization) criou um padrão de classificação de cargas perigosas para ser seguido por companhias de transporte, importadores e exportadores e portos e terminais.

Medidas de segurança ao embarcar uma carga perigosa

Previamente ao embarque, ocorre diversas etapas de conferência para garantir a segurança do embarque, da tripulação e do transporte.

A primeira documentação necessária é o MSDS (Material Safety Data Sheet), ou em português FISPQ (Ficha de Informação de Segurança do Produto Químico), um documento que contém os dados relativos a identificação do produto, composição, medidas de segurança, propriedades físico-químicas, reatividade e informações sobre como deve ocorrer o transporte.

A companhia de transporte realiza uma análise criteriosa para verificar se a carga pode embarcar com as demais e se complexos portuários e aeroportuários aceitam esse tipo de carga. Essa análise é realizada porque pode haver uma reação química ao misturar determinadas substâncias, causando explosão, incêndio ou corrosão.

As companhias aéreas só podem realizar o transporte desse tipo de carga, em voos cargueiros, com a mercadoria devidamente embalada e etiquetada dentro das normas da IATA (International Air Transport Association). É indicado também, incluir o número de contato para emergências no conhecimento de embarque, bem como o código e classe da mercadoria.

Classificação de Carga Perigosa:

O código e classe da mercadoria perigosa devem sempre estar presente nos conhecimentos de embarque e no CE mercante. É também indicado que o transportador rodoviário estampe a classe da mercadoria na frente, nas laterais e atrás do veículo, de modo que, seja de fácil visualização para todos os envolvidos.

Os códigos UN ou ONU, são 4 dígitos, que informam o número de série para identificação de produtos químicos. Esses códigos foram determinados pela própria ONU, por isso leva esse nome, dessa forma, todos os produtos que de alguma forma arriscam a vida humana, possuem esse código.

O International Maritime Dangerous Goods Code (IMDG), são códigos que classificam produtos que possuem substâncias consideradas perigosas, a fim de organizar e regular o transporte e logística da carga. Para cada classe há normas específicas para embalagem, acomodação e tratamentos específicos.

A classe é determinada de acordo com a característica do produto, são 9 classes, podendo existir subclasse, de acordo com a característica. São elas:

  • Classe 1: Explosivos em geral.

Substâncias que produzem grandes quantidades de gases e calor.

  • Classe 2: Gases Comprimidos, Liquefeitos, ou dissolvidos sob pressão.

Dispersam-se com facilidade no ar e, muitas vezes, não apresentam odor ou cor.

  • Classe 3: Líquidos Inflamáveis.

Geram uma reação de combustão quando em altas temperaturas.

  • Classe 4: Sólidos Inflamáveis,

Substâncias que tornam-se inflamáveis em contato com as chamas ou com a ocorrência de atrito.

  • Classe 5: Substâncias Oxidantes e Peróxidos Orgânicos,

Materiais que podem liberar oxigênio.

  • Classe 6: Substâncias Venenosas (tóxicas)

Produtos químicos capazes de causar danos à saúde, mesmo em pequenas quantidades.

  • Classe 7: Materiais Radioativos

Mercadorias cuja a energia liberada é invisível e, para a sua detecção, deve-se recorrer a aparelhos especializados. Somente a blindagem do contêiner garante que a radioatividade não se espalhe.

  • Classe 8: Substâncias Corrosivas

Esse tipo de material pode causar queimaduras e corrosões em matérias ou até mesmo na pele.

  • Classe 9: Substâncias Perigosas diversas

Produtos que, por diversas razões, não se enquadram nas demais classes, porém são considerados perigosos.


O embarque de cargas perigosas deve ser coordenado com muita atenção e sempre seguindo todo o regulamento, caso contrário, além de gerar um grande problema para o embarque pode também comprometer a saúde dos envolvidos, o transporte e as demais cargas.

Agora é com você, já sabe identificar uma mercadoria perigosa?

Compartilhe esse conteúdo para chegar em mais profissionais do comex!

Artigo escrito por Kauana Pacheco para

Pinho International Logistics

Kauana Pacheco

Kauana é formada em Negócios Internacionais e é pós-graduada em Big Data & Market Intelligence. Kauana é a fundadora da ComexLand, onde atua como especialista em marketing focado para empresas do Comércio Exterior e Logística Internacional.